atendimento@clinicapsicossoma.com.br

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

TRAUMA



Em psicologia “trauma psíquico” é o evento “resultante de uma situação experimentada, testemunhada ou confrontada pelo indivíduo, na qual houve ameaça à vida ou a integridade física e/ou psicológica de si próprio ou de pessoas a ele ligadas”.
 As alterações que o trauma poderá causar ao sujeito dependerão de como ele lida com os possíveis sintomas e das defesas que utiliza. Para se entender o funcionamento do sujeito, se faz necessário observar como este se relaciona com eventos potencialmente traumáticos e como esses eventos o afetam egoicamente, ou seja, deve-se compreender como o sujeito lida com os impactos emocionais, e como os sintomas se apresentam.
 Porém, para que um evento seja considerado traumático, devemos levar em consideração três fatores: evento factual, vivência e a experiência, que são definidos como:
 1. Evento factual: refere-se ao evento em si e tem relação com a realidade externa.
   2. Vivência: está relacionada ao mundo interno, ou seja, como o sujeito vivencia o evento traumático.
   3. Experiência é a somatória dos dois fatores anteriores.
 Isso significa que uma vivência traumática ocorre quando um evento factual mostra-se de forma intensa capaz de romper a articulação entre um afeto e sua representação, ficando, então, no psiquismo como algo que não conseguiu ser elaborado.
 No entanto, devem-se considerar quais qualidades devem estar presentes de modo a contribuir para que haja uma experiência traumática. Geralmente esses eventos da realidade apresentam as seguintes características:
  1. Ser inesperado;
   2. Causar interrupção de um processo normal;
   3. Prejudicar o sentimento de confiança do outro;
   4. Conter traços estranhos, não codificáveis ou interpretáveis;
  5. Ameaçar a integridade física própria ou de pessoas significativas;
   6. Distorcer ou destruir o lar.

Aline Gomes
Psicóloga – CRP: 06/102412 

Nenhum comentário:

Postar um comentário