quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Aspectos Emocionais da Disfunção Erétil

Fonte Foto: Google







A disfunção erétil pode ser definida como a incapacidade persistente para obter ou manter uma ereção peniana que permita a um homem ter relações sexuais satisfatórias. Significa o mesmo que "impotência sexual", embora este termo seja pouco utilizado pelos médicos.
As causas da disfunção erétil podem ser tanto de origem físicas quanto psicológicas.
As de origem físicas são principalmente de dois tipos: neurológicas, como por exemplo, os casos de interrupção da condução nervosa periférica por cirurgias radicais de remoção do reto, da próstata e da bexiga, ou vasculares, quando a circulação sanguínea do pênis está perturbada.
Já as psicológicas podem estar relacionadas à ansiedade (medo de que a "falha" ocorra novamente), depressão, conflitos no relacionamento afetivo, situações estressantes (dificuldades financeiras, profissionais, familiares), perda de atração, conflitos na preferência sexual, abuso sexual na infância, medo de gravidez ou de doenças sexualmente transmissíveis, baixa-estima, sentimento de culpa, entre outros.
Em alguns casos, fatores psicológicos existem em associação com as causas orgânicas, ou melhor, dizendo, surge como reação secundária às causas físicas.

Tratamento

Vivemos em uma sociedade em que o homem não pode falhar sexualmente. Isso é uma visão incorreta e preconceituosa, mas que afeta a autoestima do indivíduo, pois, diante de uma falha ocasional, o homem passa a se sentir culpado e inferiorizado.
Diante disto, o que ocorre muitas vezes é que os homens ficam constrangidos perante as situações e consequentemente com dificuldades em admitir o problema, desta forma, sofrem por muitos anos com uma disfunção que possui tratamento.
É muito importante, antes de qualquer coisa, investigar se existe algum problema de ordem física através de uma avaliação médica para que se possa realizar um tratamento, caso necessário.
Porém, se o caso for de ordem psicológica, o psicólogo irá investigar as causas emocionais do problema e auxiliar o indivíduo a rever suas crenças e lidar melhor com algumas situações da vida que de alguma forma podem contribuir para a disfunção. 
A psicoterapia irá auxiliar também no autoconhecimento, elevando a autoestima, diminuindo a ansiedade diante de situações frustrantes e melhorando a qualidade de vida do homem. 
Após a identificação da causa psicológica que está ocasionando a disfunção, paciente e terapeuta irão juntos compreender e buscar novas formas de lidar com problemas do dia a dia.
Irá compreender a origem de muitas fantasias e preconceitos a respeito de si mesmo e que trazem como consequência distúrbios em nosso organismo, compreendendo melhor sobre si próprio e melhorando a qualidade de vida.

Fabiana Macedo Delvecchio
Psicóloga Hospitalar – CRP: 06/98961

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Psicoterapia Infantil: Os benefícios da Ludotarapia

Foto fonte: Google


A Ludoterapia é um recurso dentro da Psicologia Infantil muito importante, pois, trabalha os aspectos emocionais da criança por intermédio dos brinquedos.
A cabeça da criança é um misto de fantasia e realidade, com porções e medidas que ela mesma trata de dosar.

A brincadeira é indispensável. Tem valor incalculável para o bem-estar físico e psicológico da criança. No entanto, existem crianças que passam por tratamento médico com maior intensidade, sendo expostas a exames, agulhas, comprimidos, soro e todo o aparato necessário ao tratamento que acompanhada a hospitalização ou tratamento domiciliar.

 É certo que todos esses cuidados são vitais para o restabelecimento físico da criança, o fortalecimento de seu organismo, para que haja revigoramento de suas defesas imunológicas e para a recuperação de sua saúde.

Há uma quebra na rotina de vida da criança. Ela é então forçada a abandonar a escola, seus amiguinhos e, principalmente, as brincadeiras.

E necessário o atendimento psicológico na hora de explicar para ela o que está se passando sem causar maiores traumas, dando oportunidade também para que a criança se expresse verbalmente, por meio de desenhos, jogos ou, simplesmente brincando.

O estado emocional é significativo no aumento ou diminuição das defesas imunológicas de qualquer pessoa, ou seja: os “anticorpos” também gostam de alegria!

Maria de Jesus Machado Lima
Psicóloga – CRP: 06/69459
Psicoterapeuta Junguiana e Psicossomatista.







terça-feira, 21 de outubro de 2014

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA CRIANÇAS




                          

                           ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PARA CRIANÇAS, TUDO DE BOM !!!!

 O mês de outubro é o mês das crianças, e nada melhor do que uma alimentação saudável e nutritiva.
Procure utilizar alimentos naturais, sem excesso de sal ou açúcar para que a criança conheça os sabores básicos.

Levar a criança ao supermercado e deixe-a manusear os vegetais, verduras e frutas, para que se familiarize com os alimentos.

O consumo de doces não deve ser proibido, pois faz parte do convívio social. A criança deve entender que o excesso poderá fazer mal à sua saúde.

Evitar o consumo de salgados fritos ou salgadinhos de pacote e bebidas gaseificadas ou refrigerantes.

Nos lanches escolares priorizar alimentos como: frutas, barras de cereais, biscoitos integrais, bolos caseiros sem recheio, sucos de frutas naturais (melão, abacaxi, e maracujá não alteram o sabor).

Não oferecer guloseimas como forma de premiação ou retirar como punição, pois dessa forma vai se tornar mais importante e valorizada.

Oferecer frutas, legumes, verduras, leite, derivados, carnes, ovos e leguminosas para que tenham uma alimentação bem variada e saudável.

Quando recusar uma refeição, aguardar a próxima para oferecer algo para comer, pois algumas vezes a criança espera uma mamadeira no lugar da refeição recusada!
Evitar a oferta de refeições de forma rápida, ou com barulho de televisão ou jogando. Esse procedimento contribui para maior ingestão de alimentos, o que pode levar a criança a ganhar peso.

As refeições devem ser feitas de preferência em família, para um melhor aproveitamento da companhia de pais e irmãos.


Sonia Carnicelli Feipe da Silva
Nutricionista – CRN-3: 20755