quinta-feira, 26 de junho de 2014

Epilepsia e o tratamento neuropsicológico



A epilepsia é uma síndrome que pode trazer alterações nas funções cognitivas, assim como alterações comportamentais. Os déficits apresentados podem ser ou não graves, por isso, a avaliação neuropsicológica é necessária. 
A avaliação neuropsicológica é considerada como uma das principais ferramentas para compreender o funcionamento cognitivo e buscar soluções para possíveis déficits existentes. Quanto mais conhecimento sobre a relação das crises epilépticas e as funções cognitivas, melhor poderá ser realizado o diagnóstico, os procedimentos e o desenvolvimento do tratamento das crianças epilépticas.  
Os objetivos da avaliação neuropsicológica no contexto pré-operatório para cirurgia de epilepsia são:
1) Determinar o nível de funcionamento cognitivo deste indivíduo antes da cirurgia;
2) Sugerir localização e lateralização da disfunção;
3) Sugerir prognósticos de controle de crises após a cirurgia;
4) Realizar a reavaliação  pós-cirurgia para o acompanhamento da evolução do paciente, orientação educacional, profissional e reabilitação.
A neuropsicologia realiza então, a análise das funções cognitivas como memória, linguagem, funcionamento intelectual, executivo, entre outros e avalia as mudanças e alterações de comportamento.

  • A criança deve utilizar suas próprias habilidades para trabalho das estratégias compensatórias e estratégias trabalhadas em
  • Utilização, em terapia, de mecanismos externos para auxiliar a memória (diários, cadernos, agendas). Algumas crianças precisam de métodos combinados como auxilio de um relógio despertador e um caderno para que escreva tudo que precisará realizar durante o dia. Tudo com auxilio dos pais e professores.
  • terapia durante a reabilitação. As instruções dadas a ela devem ser diretas e simples.
  • Treinamento das habilidades prejudicadas: que dependem da idade, capacidade intelectual motivação e patologia subjacente. Para criar e treinar as estratégias, na maior parte das vezes, é necessário o auxilio de pais, professores, seguindo as orientações dos terapeutas.

Aline Gomes
Psicóloga CRP: 06/102.412